terça-feira, 7 de dezembro de 2010

E tudo pode voltar...

Tudo parecia ir bem, a melhora era significativa e eu estava conseguindo controlar meus pensamentos, que são os meus maiores inimigos. Até que chegou o fim do semestre, festas e confraternizações e eu de fora , excluída por mim mesma, mas o que me causa mais raiva é que as outras pessoas nem se importam com minha exclusão, acho que eles desistiram de mim.Para piorar, com o fim do semestre, vou ter que apresentar três seminários, o primeiro já passou e como era de se esperar, foi um fracasso, bom, pelo menos é o que penso, já que esses malditos pensamentos consomem minha existência, agora irão vir os outros e estou com muito medo, porque os outros são piores, sei que não posso desistir,mas é muito doloroso sofrer só e em silêncio. Isso é uma droga mesmo, pensei que já estava controlando meus pensamentos aí vem uma dessa e me desmorona, o difícil é ter que levantar e voltar a caminhar novamente.Queria ser como os outros, pensar menos e agir mais, bendita a ignorância dar a eles o prazer de sentir a vida da melhor forma e sem sofrimentos, só os sofrimentos físicos, claro.
Esse vídeo a seguir é o que define meu estado nesse momento que vos escrevo, foi a melodia que mais se aproximou da descrição do meu sofrimento deste instante.


video

sábado, 20 de novembro de 2010

Recomeço


Faz tempo que não posto nada no blog. Posso dizer que estou bem, em um bom estado. Analisando o último ano, tenho percebido que a Fobia Social tem diminuido significativamente, continuo tímida e extremamente preocupada com a opinião dos outros, mas alguns sintomas desapareceram e outros, aprendi a dominar.Para ser mais clara vou dar exemplos, tenho uma disciplina na faculdade que a professora estimula bastante a participação dos alunos e por algumas vezes ela me perguntou algo enfrente a turma, exitei na hora de responder, mas sabia que tinha que responder, meu coração acelerou, mas enfrentei , fiquei surpresa, pois quando estava em uma situação como essa, normalmente, tinha taquicardia, o que dificultava mais ainda a fala, pois a voz ficava trêmula e consequentemente a fobia aumentava, mas percebi que tenho ficado mais calma nessas situações e isso tem me dado bastante esperança quanto a cura da Fobia social, pois já tinha como caso perdido, que não adiantaria fazer nada para reverter, pois eu sempre seria assim , mas vejo que é possível e que só temos que dar um passo, que não precisa ser tão ousado, já que somos tímidos.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Filme que assisti

Gosto bastante de assistir filmes sobre transtornos pisicológicos, acho que é tentando compreender a minha mente e as das outras pessoas, e esses dias assisti um filme que fala sobre Fobia social, contando a história de um homem e sua solidão e a forma como lida com a mesma, com um toque de humor.Se alguém puder me indicar outros filmes sobre o mesmo assunto, fico grata.

Sinopse:

Lars Lindstrom (Ryan Gosling) é um homem tímido e introvertido, que vive na garagem de seu irmão mais velho, Gus (Paul Schneider), e sua cunhada Karin (Emily Mortimer). Lars apenas acompanha o desenrolar de sua vida, sem se mexer para algo. Até que um dia ele encontra Bianca, uma missionária religiosa, através da internet. O problema é que para as pessoas Bianca não é alguém real, mas a réplica de uma mulher, feita de silicone. Só que Lars acredita piamente que ela é um ser humano, o que faz com que se torne seu apoio emocional. Preocupados, Gus e Karin decidem procurar o conselho de uma psicóloga, que recomenda que concordem com Lars enquanto ele lida com seus problemas pessoais

terça-feira, 17 de agosto de 2010


"Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR."

Clarice Lispector

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Hoje a tristeza não é passageira, hoje fiquei com febre a tarde inteira...

Hoje foi meu primeiro dia de aula na faculdade, depois das férias, havia esquecido quase totalmente que sofria de fobia social, sempre em casa, sem ver muitas pessoas, estava tudo ótimo , até que as aulas voltaram e tudo parece ter piorado, acabei regredindo e estou frustrada por isso, antes ficava feliz por ter conseguido cumprimentar várias pessoas, ou por ter iniciado alguma conversa com alguém desconhecido, mas agora não estou conseguindo mais nem olhar nos olhos das pessoas, se alguém fala comigo, a voz trava, uma moça perguntou meu nome e demorei para responder, não sei o que ela ficou achando, talvez que eu seria louca, como pode uma pessoa esquecer o próprio nome?(ela deve ter pensado isso), na verdade a voz travou, não sei o que aconteceu, mas isso foi o de menos o pior foi a cobrança dos professores quanto a desenvoltura e outras coisas mais, que não quero nem lembrar, me bate um desespero, uma vontade de largar tudo e ficar em casa pra sempre, sei que isso é impossível, também não teria coragem, sei que meus sonhos são maiores que meus medos, mas não sei o quanto vai durar essa crença.Estou com uma enorme tristeza , um sentimento de frustração, depois de ter melhorado tanto, já me sentia quase livre dos sofrimentos da fobia social, mas parece que está voltando e tenho medo que seja igual ou pior.Só espero que amanha isso tudo passe.
Este é um vídeo que descreve bem o que estou sentindo

video

sábado, 17 de julho de 2010

Dúvidas e incertezas




Outro semestre aproxima-se e meus medos só aumentam, não sei mais o que fazer, estou fazendo um curso em uma universidade pública, mas não consigo enxergar um futuro,pois o curso é de licenciatura. Na verdade o problema não está no curso, mas sim na minha fobia social, como pode uma pessoa com FS conseguir ensinar, mas se olho para outras alternativas de cursos, percebo que em todos terei que enfrentar minha fobia, pensei em psicologia, odontologia, fisioterapia, mas sempre percebo que não tem jeito.As pessoas falam que sou jovem, que ainda tenho muito tempo para escolher uma carreira, mas devo afirmar ,que me formar muito jovem, é um sonho, que não me perdoarei se não conseguir, eu só queria poder acreditar mais em mim, isso me atrapalha muito, pois estou sempre subestimando minha capacidade.Quando vejo pessoas que já sabiam o que queriam bem jovem, pessoas que se destacaram muito cedo por seus feitos, fico profundamente angustiada, penso que jamais conseguirei ser assim, pois sei que elas não perderam seus tempos pensando inutilidades como eu, não perderam seus tempos pensando em como poderiam ser aceitas pela sociedade.Eu preciso ter forças, e com urgência para me decidir e escolher um caminho que eu não precise olhar para trás e nem para os lados, preciso urgentemente de uma meta, para aos poucos conquistar o que busco.

segunda-feira, 14 de junho de 2010


Am I that weird?
Am I that strange?
I've got one fear
It is so hard to change

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Inércia

Faz um bom tempo que não posto,acho que isso é bom,pois geralmente quando posto é porque estou bem triste.Estou em um momento de inércia,vou levando a vida ,nada muda ,mas não estou tão triste ,acho que é porque renasceu a esperança em mim ,através da minha fé;Sabe ,as vezes penso o que vai ser de mim na minha velhice,já que hoje o que me sustenta é minha esperança,então o que vai me sustentar na minha velhice se eu nada tiver realizado hoje,acho que é melhor nem pensar nisso,esse é o meu defeito,pensar demais.Na faculdade tá muito difícil levar as matérias que precisa falar em público,não sei o que faço e sei que a tendência é só piorar,se eu pudesse eu largava o curso,mas tenho medo de não passar em outro curso e acabar sem nada,então decidi que não vou mais pensar no futuro e acreditar que o que tiver de ser ,será.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Tristeza




Bem,já faz algum tempo que não faço nenhuma postagem,derrepente bateu um desânimo ,mas hoje senti vontade de postar algo.Ultimamente tenho ficado muito triste,estou com medo de nada dar certo,de perder as esperanças,pois não estou mais vendo mudanças em minha vida e isso me preocupa,tenho medo de regredir e voltar aquela tristeza que distanciava ainda mais as pessoas de mim e isso tá acontecendo,estou cada vez falando menos com as pessoas do meu meio convívio social ,tenho vergonha de ser eu mesma ,não falo o que penso e sei que as pessoas não me conhecem.Na faculdade encontrei pessoas incríveis,mas quando essas pessoas me entregaram suas amizades ,não fui reciproca,então parece que elas começaram a distanciar-se e elas nem imaginam o quanto gosto delas ,mas não consigo demonstrar isso,acho que quando me vejo muito próxima de alguém,penso que não sou suficiente,que não sou uma boa companhia,tenho medo de elas me conhecerem e se decepcionarem e com isso acabar com meu pouco de esperança.Esse post foi uma forma de tentar me expressar,mesmo que ninguém me entenda,nem eu me entendo,sei que tenho uma imensidão de pensamentos confusos que não consigo expressar através de palavras.

quarta-feira, 31 de março de 2010


"Os meus sonhos são como um refúgio estúpido,como um guarda-chuva contra um raio" (Fernando Pessoa)

quarta-feira, 24 de março de 2010


Meus poucos e amigos leitores,no último post falei sobre meu medo de voltar a ser o que eu era,porém recebi dois comentários que me ajudaram bastante,tais comentários me diziam a importância de eu ser eu mesma ,sem me importar com quem está a minha volta,para um fóbico social isso pode parecer ironia ,porque como conseguiríamos ser autênticos se esse é nosso maior medo,mas hoje na faculdade prometi pra mim que iria evoluir em alguma coisa ,por mais simples que fosse,então tomei a atitude de falar com pessoas que antes eu não falava,a me aproximar de pessoas que eu tinha me distanciado,e isso me causa uma sensação tão boa,de dever cumprido,de que é possível sair dessa,contando assim parece que foi fácil,mas não foi,encontrar assunto para falar com as pessoas foi um grande obstáculo.Se falei besteira ou não ,o que importa é que consegui falar,do meu jeito tímido,mas sei que mostrei para as pessoas que eu estava alí.O bom é que meu curso na faculdade,é um curso que exige criatividade e sensibilidade,então as pessoas que convivo lá, são pessoas agradáveis ,que não diferenciam as pessoas, que buscam entender o eu das outras pessoas sem preconceitos.Sei que estou escrevendo meu caminho ,aos poucos ,mas estou conseguindo,cada dia é um novo obstáculo.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Atualmente



Já que contei um pouco de como fora minha vida nos tempos de escola,que não faz muito tempo,agora vou falar um pouco do que aconteceu depois .Fim do Ensino médio,terceiro ano,comecei a me socializar mais com as pessoas,minha autoconfiança aumentou,consequência de eu ter melhorado muito minha aparência,enfim deixei de ser uma aberração(morro de medo de voltar a ser o que eu era),depois que terminei o terceiro ano,fui fazer um cursinho,que me ajudou bastante,pois eu tinha que conviver com várias pessoas diferentes todos os dias,era um universo novo para mim,também tiveram pessoas importantes que conheci lá,que jamais vou esquecer.Em pouco tempo passei no vestibular e fui para faculdade,tudo melhorou as pessoas falavam comigo,praticamente todos da sala,parece mentira,então começou outro semestre ,mas agora estou com medo ,pois estou começando a me distanciar novamente das pessoas,isso me deixa aflita,tenho medo de voltar a ser o que eu era nos tempos da escola,tenho medo de me isolar novamente e sei que isso é quase um caminho sem volta,o pior é que eu não consigo tomar nenhuma atitude.

sábado, 20 de março de 2010

Dica de livro


Sempre gostei de me esconder por trás de livros,por causa da maldita da minha timidez,sempre que vou para algum lugar levo um livro,primeiro para que eu não fique com aquela mania de não saber para onde olhar,depois para que algumas pessoas não se aproximem de mim,e por fim ,para as pessoas acharem que estou sozinha porque gosto.Outro dia eu estava lendo um livro que me identifiquei bastante ,o livro chama-se "O livro do desassossego"de Fernando Pessoa(livro que extrai algumas frases postadas no blog),pois é ,nesse livro Fernando Pessoa aprofunda-se ao máximo em seus conflitos psicológicos(os quais me identifiquei com alguns),porém, pessoas que estão com depressão muito forte,não aconselho a ler ,pois ele não é nem um pouco de auto-ajuda.Mas o livro ajudou-me a conhecer meu "eu" mais profundamente e perceber que não sou a única que pensa tais coisas.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Desde a infância


Sempre tive Fobia social e não sabia,acho que os piores anos foram os da escola,como foi difícil...
Sempre tive amigas, mas sempre me senti a esquisita da turma,elas percebiam meu jeito diferente,mas não tocavam no assunto,mas se por acaso alguém falasse,eu pensava que iria morrer de tanta vergonha,meu rosto esquentava ,meu coração disparava e minha voz ficava trêmula(a pior parte),mas isso acontece até hoje.Quando criança diziam que era timidez,mas chegou a adolescência e só fez piorar,tinha amigas,já os meninos faziam piadas de mim pelas costas,por e não ter boa aparência como minhas amigas(tenho certeza que disso sobrou alguns traumas ),uma vez ,subindo uma escada bati meu braço no de um menino sem querer,quando cheguei na sala,ouvi quando ele comentou de forma enojada para outro garoto que havia encostado em mim,hoje esse menino é um idiota,mas nunca esqueci disso,talvez nunca esquecerei.Outra vez eu estava com minhas amiga quando um menino que estava sentado atrás fez um comentário com o outro de que eu era muito feia,isso foi como um golpe quase chorei na hora,sempre tive raiva por sempre escutar o que não era para eu escutar,sempre me feria com isso.Com o tempo minha auto-estima fora diminuindo e minha fobia social aumentando,quando percebi eu já não conversava mais com quase ninguém da minha turma,só com minhas poucas amigas.Sei que muitas pessoas passaram por situações parecidas ou até piores,por isso gostaria que outras pessoas também compartilhassem suas histórias aqui,podem me enviar a história e um pseudônimo que eu postarei no blog.

quinta-feira, 18 de março de 2010


Bem,nunca tive coragem de me expressar,nem mesmo em diários,sempre fiquei com a paranoia de que alguém iria ler e rir de mim,criando o blog,percebi que posso ter mais liberdade,que quem me conhece não iria ler.Poxa,essa maldita timidez me persegue desde a infância,pensei que fosse passar,mas nunca passa totalmente.Algumas vezes penso que estou liberta,quando estou perto de pessoas que com as quais me sinto bem,mas logo vem alguma situação que me põe pra baixo ,fazendo-me perceber que ainda sou a mesma,aquela que morre de medo de encarar as pessoas e que se sente inferior aos outros por muito pouco.Eu sei que tenho muito mais para compartilhar com vocês,mas ainda estou um pouco travada com o blog,com medo da opinião de quem o ler,mas em breve estarei desabafando e ouvindo histórias de outras pessoas .Se alguém quiser contar alguma situação de crise de fobia social ,gostaria muito de ler e postar no blog para que outras pessoas com os mesmos problemas leiam para que posamos nos ajudar e tentar mudar essa situação,pois tenho certeza que a melhora é quase o mesmo que uma cura para quem tanto sofre.

segunda-feira, 15 de março de 2010

expressão

Criei esse blog como um espaço de expressão,onde vou contar meus anseios e situações que vivi,vou enfrentar um de meus maiores obstáculos, a capacidade de expressão através de palavras,espero e preciso de sugestões, caros leitores,para fazer um diário mais completo e interessante.