terça-feira, 7 de dezembro de 2010

E tudo pode voltar...

Tudo parecia ir bem, a melhora era significativa e eu estava conseguindo controlar meus pensamentos, que são os meus maiores inimigos. Até que chegou o fim do semestre, festas e confraternizações e eu de fora , excluída por mim mesma, mas o que me causa mais raiva é que as outras pessoas nem se importam com minha exclusão, acho que eles desistiram de mim.Para piorar, com o fim do semestre, vou ter que apresentar três seminários, o primeiro já passou e como era de se esperar, foi um fracasso, bom, pelo menos é o que penso, já que esses malditos pensamentos consomem minha existência, agora irão vir os outros e estou com muito medo, porque os outros são piores, sei que não posso desistir,mas é muito doloroso sofrer só e em silêncio. Isso é uma droga mesmo, pensei que já estava controlando meus pensamentos aí vem uma dessa e me desmorona, o difícil é ter que levantar e voltar a caminhar novamente.Queria ser como os outros, pensar menos e agir mais, bendita a ignorância dar a eles o prazer de sentir a vida da melhor forma e sem sofrimentos, só os sofrimentos físicos, claro.
Esse vídeo a seguir é o que define meu estado nesse momento que vos escrevo, foi a melodia que mais se aproximou da descrição do meu sofrimento deste instante.


video

Um comentário:

  1. Sei bem como é isso. Parece que as pessoas que estão a nossa volta nem se dão conta da nossa existência. Parece que não se importam. Eu estou fazendo um curso superior e fui a poucas festas, mas não me dei bem e simplesmente passei a me isolar disso. E no inicio ainda achava que alguém iria sem importar comigo ou que poderia vim perguntar o que está acontecendo, mas ninguém vem. Hoje tento não me importar com isso, mas é bem difícil viver assim.

    ResponderExcluir